Pedaços e Pedacinhos

Um livro simplesmente delicioso!

“Pedaços e Pedacinhos”, uma coletânea dos escritos e pensamentos de Brasílio Duarte (1915-1998), que traz a viva lembrança de uma São José dos Campos de outrora, ainda estância climática, de uma vida mais simples e de uma gente mais tranquila. Ou de uma vida mais tranquila e de gente mais simples, como queiram!

Sobre esse livro, disse Altino Bondesan em carta ao autor: “A leitura dos originais de seu livro ‘Pedaços e Pedacinhos’ me empolgou e confortou. Fiquei conhecendo pormenores de sua vida, edificantes, dignos de menção. Vejo que você construiu o edifício de sua existência com muita fé, trabalho, persistência e honestidade. / Seu livro merece ser lido pelas novas gerações, tão carentes de exemplos de religiosidade, de idealismo, de espírito de luta, coisas que se encontram em abundância nas belas páginas de sua obra.”

Bem, para que tenham uma idéia, eis um trechinho:

Um Fato Decisivo e a Primeira Lição

No ano de 1925, com nove anos de idade completos, fui matriculado no Grupo Escolar Olímpio Catão.

Antecedendo a este fato, ocorre uma cena bastante singular e até pitoresca, resultando daí que se tornasse meu protetor, simplesmente o Prefeito Cel. João Cursino. Foi assim:

Sem que alguém soubesse, saí para a rua, determinado a pedir que me pusessem na escola.

Vinha sentindo essa vontade, ao ver, todos os dias, que os outros meninos iam às aulas e voltavam alegres e tagarelas. Grandemente ocupados com os muitos problemas da Santa Casa, meus pais [adotivos] não havia podido, até esse tempo, conseguir uma documentação legal para a minha matrícula escolar, uma vez que eu não tinha nem o registro de nascimento.

E era a primeira vez que eu saía sozinho na rua.

Na primeira esquina (antiga residência do Dr. Nelson), deparo com um roceiro e lhe pergunto: “O sr. sabe quem é o dono da cidade?”

E ele rindo, me diz: – “não é dono da cidade que se diz, é Perfeito. Ele mora perto do Mercado!”

Agradeci e andei para os lados da igreja Matriz.

Bem adiante, pergunto novamente a uma pessoa: “o sr. sabe onde mora o Perfeito?”

Rindo também, ele me ensina: “menino, não diga perfeito, diga Prefeito que é assim que se fala”, “ele mora ali ao lado do Mercado.”

Essa foi a primeira lição que recebi, e caminhei, pensando em como alcançar o que estava procurando.

Finalmente, chego ao lugar que me foram indicando.

Batendo palmas, logo me aparece um senhor gordo, de colete, meio calvo, que me pergunta:

“O que você quer?”

“Eu quero falar com o Perfeito.”

“Pode entrar.

Entrei. Havia um pequeno portão e a seguir, uma escada.

Fiquei olhando.

“Pode falar, eu sou o Prefeito!”

“Vim pedir para o sr. me pôr na escola.”

“Onde você mora?”

“Na Santa Casa.”

“Muito bem. Volte para lá, bem direitinho, eu vou tratar do seu caso.”

Agradeci e fui saindo. Parei, voltando-me para ele, advertindo-o que, se não fosse atendido, sairia de casa.

“Para onde você vai?”

“Não sei, mas creio que vou parar em algum lugar.”

“Vá sossegado. Amanhã mesmo você estará na escola.” E foi assim, mas antes saibam o que aconteceu. Ao chegar em casa, encontro o pessoal apavorado. Todos estavam me procurando.

Fui repreendido pela minha falta, mas não contei nada do que aconteceu. No dia seguinte, bem cedo e para espanto de todos, aparece o Sr. Zeca Bicudo, servente do Grupo Escolar, com ordem expressa do Prefeito para me levar à escola. Foi um corre-corre geral.

Cada um me fazia uma coisa, desde o banho, ao vestir e alimentar. Foi um dia de festa sem que alguém entendesse o porquê de tudo aquilo…

E os tempos foram passando…

11 thoughts on “Pedaços e Pedacinhos

  1. O bom de pessoas como seu pai, que resolvem registrar seus próprios pedacinhos de vida, é que presenteiam todas as gerações futuras com sua encantadora visão de um tempo em que a vida era bem mais simples…

  2. O Sr Brasílio é o vô de meus filhos….grande homem que nos deixou um legado sua retidão de vida e amorosidade…me orgulho em fazer parte de um dos “Pedaços e Pedacinhos” da vida desse Homem…

  3. Sou orgulhoso de pertencer a esta família, Seu Brasilio sempre fará parte de minha vida como um grande professor que sabe tudo. Obrigado

  4. obrigada Adauto de Andrade pela homenagem ao meu pai – fico-lhe eternamente grata – abraços – claudete teixeira duarte

  5. Sr .Brasilio Duarte

    O senhor foi meu Pai terrestre ,este foi um dos legados que deixastes na nossa vida dentre tantos outros . De origem humilde mas de espirito muito evoluído conseguiu milhares de amigos,ajudou tantas pessoas.
    Resumindo foi um homem bem á frente do seu tempo!!!!!!
    Um Beijão meu Pai!!

  6. Realmente uma homenagem muito merecida para o meu sogro,Sr brasílico
    Duarte,de uma inteligenciasem fim,adorava conversar com ele,fiquei muito emocionada,quando ví que citou meu nome em seu livro.
    Deixou grande saudade?

  7. Algumas pessoas passam por nossas vidas e fazem delas um lugar melhor, nos trazem lembranças boas e muito mais do que isso, nos fazem querer ser alguém melhor, nos fazem poder ser alguém melhor com seus ensinamentos e sua energia boa.
    Me orgulho muito em dizer que participei da vida desse homem que muitos amam, que pude rir de suas piadas, de seus trocadilhos.
    Muito obrigado meu avô por existir e ter trazido pra nossas vidas tanto amor

  8. Obrigada Adauto por esta felicidade que deu a mim e a todos de nossa família!
    abraços
    claudete

  9. Que saudades! que coisa boa relembrar dessa pessoa maravilhosa que nos inspirou e inspira até hoje.

    Obrigada Vô Brasílio, por ter sido tão maravilhoso e compartilhar isso com todos ao seu redor <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *