André Martins Ferreira

Da mesma maneira que sua esposa, Maria de Souza Monteira, aqui está o inventário de André Martins Ferreira, no qual também consta seu testamento. A importância deste casal no estudo da genealogia da família Andrade reside no fato de que é através deles que prossegue a linha de ascendentes de Lauriana e Maria, respectivamente esposas de Manoel Joaquim de Andrade e Jerônimo de Andrade Brito (ou seja, são sogros destes).


 INVENTÁRIO e TESTAMENTO DE ANDRÉ MARTINS FERREIRA

 ----------------------------------------------------------------------
 | Arquivado no Museu Regional de São João del Rei - Caixa 570        |
 | Transcrito por: Flávio Marcos dos Passos                           |
 | Transcrito em : DEZ/2002                                           |
 | Solicitante   : Luis Antônio Villas Bôas                           |
 | Objetivo      : Dados Genealógicos                                 |
 | Inventariado  : ANDRÉ MARTINS FERREIRA                             |
 | Inventariante : MARIA DE SOUZA MONTEIRO                            |
 | Testamento redigido em Baú Aplicação de Nossa Senhora da Conceição |
 | da Barra, Freguesia de Nossa Senhora do Pilar da Vila de São João  |
 | del-Rei, em 04/DEZ/1774                                            |
 | Número de folhas originais: 99                                     |
 ----------------------------------------------------------------------

 - FL.002 -

 ... faleceu com testamento no dia 04/06/18f07 (?)

 RELAÇÃO DE FILHOS :

 - JOSÉ de vinte e oito anos 
 - MANOEL de vinte e seis anos 
 - ANA casada com FRANCISCO JOSÉ TEIXEIRA.
 - ANDRÉ que se acha em  Coimbra  nos  estudos  junto  com  o  primeiro
   nomeado JOSÉ, com 21 anos. 
 - MARIA casada com JERÔNIMO DE ANDRADE BRITO. 
 - FÉLIX de quatorze anos. (ilegível dando somente para ler ?e?is o que
   presumivelmente seja o Félix) 
 - LAURIANA de doze anos. 
 - INÁCIA de oito anos. 
 - MARIANA de quatro anos. 

 - FL.003 -

 TESTAMENTO.

 ... Em nome da Santíssima Trindade Deus Uno e Primo em  que  creio  em
 cuja lei protesto viver e morrer, eu  ANDRÉ  MARTINS  morador  no  Baú
 Aplicação de Nossa Senhora da Conceição da Barra, Freguesia  de  Nossa
 Senhora do Pilar da Vila de São João del-Rei estando em  meu  perfeito
 juízo e de saúde que  Deus  me  deu,  faço  meu  testamento  na  forma
 seguinte: Nomeio por meu testamenteiros  em  primeiro  lugar  a  minha
 mulher MARIA DE SOUZA MONTEIRA e a seu irmão o Padre ANTÔNIO DE  SOUZA
 MONTEIRO para que ambos unidos façam um pessoa, em segundo lugar a meu
 genro FRANCISCO JOSÉ TEIXEIRA e em terceiro lugar ao meu filho  MANOEL
 MARTINS FERREIRA a quem hei por emancipado e abonado, aos  quais  rogo
 que por serviço de Deus queiram  ser  meus  testamenteiros  e  tomarem
 administração dos meus bens para os meus legados aqui  determinados  e
 ao testamenteiro que aceitar o instituo administrador de todos os meus
 bens em geral para dispor, cobrar, pagar, remeter e obrar tudo  o  que
 for preciso com todo  os  poderes  gerais,  especiais,  como  bastante
 procurador para o que hei por abonado. Deixo a meu  testamenteiro  por
 premio de seu trabalho cinquenta mil reis e a vintena e  lhe  passo  o
 tempo de quatro anos para a conta. Meu corpo será envolto no hábito de
 Nossa Senhora do Carmo de cuja ordem sou noviço e a não ter professado
 em hábito de São Francisco e sepultado na capela  da  dita  ordem  não
 sendo professo  na  mais  vizinha  e  me  acompanharão  os  Reverendos
 Sacerdotes que se acharem dizendo Missas mor minha alma por esmola que
 der meu testamenteiro. Declaro que sou natural da Freguesia  de  Santo
 Aleixo, Bispado de Coimbra, Comarca de Tomás, filho legítimo de MANOEL
 MARTINS e de JOSEFA FERREIRA, já defuntos. Declaro que sou casado  com
 MARIA DE SOUZA MONTEIRA  de  quem  tenho  nove  filhos  que  são  meus
 herdeiros e como tais os instituo de todos os meus bens.

 - FL.003/VERSO -

 Declaro que só reservo a terça parte da terça de meus bens que esta se
 madará dizer missas por minha alma a saber a metade nesta Freguesia  e
 a outra na em que sou natural e quanto seja vivo  meu  irmão  o  Padre
 JOSÉ MARTINS este a elas preferirá de esmola de cento e cinquenta réis
 e aquelas de esmola costumada. Declaro que destas Missas que se  dirão
 donde sou nascido cinquenta se hão donde sou nascido cinquenta se  hão
 de aplicar pela alma de meus pais seguindo-se a  ordem  de  justiça  e
 havidas de todas as minhas obrigações e todas  estas  disposições  não
 excederão a  quantia  dos  quatrocentos  mil  réis  regulados  na  lei
 novíssima. Declaro que as outras duas partes da minha terça pro  serem
 os  meus  bens  adquiridos  disponho  delas  na  forma  seguinte:  meu
 testamenteiro mandará dizer quarenta missas pela alma de todos aqueles
 que foram meus escravos e hoje falecidos.  Assim  mais  dará  a  minha
 afilhada e cunhada RITA a quantia de cem oitavas de ouro. Todos  estes
 legados por uma vez somente e o restante das  outras  duas  partes  se
 distribuirão por minhas filhas ANA, MARIA, LAURIANA, INÁCIA e MARIANA.
 Declaro que meus bens constarão de inventário que se proceder por  meu
 falecimento e todos estes ou aqueles que por justo título me pertencem
 meu testamenteiro fará boa arrecadação deles. Declaro que  as  dívidas
 que devo é minha vontade que se paguem todas sem contenda de justiça e
 as não declaro aqui porque a dita  minha  mulher  e  testamenteira  de
 todas é ciente e se alguma pessoa dizer sendo o crédito e verdade  que
 lhe devo alguma coisa quero  que  lhe  pague  só  com  prestar  o  seu
 juramento. Declaro que sou  Irmão  nesta  Freguesia  da  Irmandade  do
 Santíssimo Sacramento, Alma e Senhor Jesus dos Passos as  quais  todas
 se paguem o que eu dever. Nomeio por tutora de  meus  filhos  a  minha
 mulher     MARIA      DE      SOUZA      MONTEIRA     por     conhecer

 - FL.004 -

 nela inteligencia para os saber governar e conservar as suas legítimas
 para o que a hei por abonada e peço ao  Senhor  Juíz  de  Órfãos  para
 cumprir e guardar esta minha disposição e última vontade. Declaro  que
 meu testamenteiro na administração dos meus  bens  os  poderão  vender
 (ilegível) ou fiado em praça  ou  fora  dela  como  quizerem  ou  lhes
 parecerem e quando  necessitem  de  mais  tempo  para  a  conta  deste
 testamento lhes passo mais um ano. Esta é a minha última  vontade  que
 mando  se  cumpra  e  quando  citar  a  disposição  deste  conforme  o
 determinado das leis novíssimas de sua Magestade Fidelíssima  sobre  a
 matéria de testamento em vinte e cinco de Junho de  mil  setecentos  e
 sessenta e seis e nesse de setembro de sessenta  e  nove  pelos  quais
 neste caso regido  esta  minha  disposição  para  valer  no  que  leas
 permitem revogando neste qualquer legado ou disposição que é contra as
 ditas leis por isso peço e rogo as Justiças a que competir  e  cumpram
 este pela melhor forma de Direito e por verdade pedi e roguei a MANOEL
 RIBEIRO DE SOUZA que este me escrevesse e como testemunha assinasse  e
 eu me asssinei com meu sinal e firmo de meu próprio punho.  Hoje,  Baú
 quatro de Dezembro  de  mil  setecentos  e  setenta  e  quatro.  ANDRÉ
 MARTINS. Como testemunha que fiz  esta  a  rogo  do  testador,  MANOEL
 RIBEIRO DE SOUZA.

 - FL.009 -

 Informa que possuia 54 escravos.

 - FL.013 -

 BENS DE RAIZ.

 01) ...... uma fazenda ..... moinho e engenho tudo coberto de telha  e
 senzalas de capim .... de uma e outra parte do Rio  das  Mortes  e  na
 mesma o serviço de água do engenho a qual a fazenda parte de uma banda
 com DOMINGOS DIAS DE BARROS e de outra com JOÃO DE  ABREU  COUTINHO  e
 com quem mais deva e haja de partir que  foram  revistas  e  avaliadas
 pelos  avaliadores  na  quantia  de   um   conto   e  quinhentos   mil
 réis (1:500$000)

 02) Declarou a mesma inventariante que junto  a  mesma  fazenda  havia
 outro sítio da parte dalém  do  Rio  das  Mortes  (ilegível)  a  mesma
 fazenda que foi do defunto MANOEL COELHO BASTOS a qual  parte  de  uma
 banda com JOÃO DE ABREU COUTINHO e  com  MANOEL  DE  JESUS  PEREIRA  e
 FRANCISCO DA SILVA FERREIRA e com quem mais deva e haja de partir  que
 foi  fisto  e  avaliado  pelos   avaliadores   em   quatrocentos   mil
 réis (400$000)

 03) Declarou a mesma inventariante, cabeça de casal, haveram pelo meio
 do Rio das Mortes de uma outra parte alguns restos de terras  e  águas
 minerais com seis regos e serviços que tudo foi visto  e  avaliado  na
 quantia de quinhentos mil réis (500$000)

 04) Danificado e ilegível.

 - FL.014 -

 DIVIDAS ATIVAS

 01) O Alferes DOMINGOS DA COSTA GUIMARÃES                      152$400
 02) MARIANA DE SOUZA MONTEIRO                                  218$400
 03) JOÃO BATISTA DE SOUZA                                       31$766
 04) MANOEL MARQUES ALVES                                        22$455
 05) JOÃO MOREIRA DA SILVA                                        3$000
 06) SIMÃO FELIX DE CAMARGO                                      38$100
 07) JOSÉ LUIZ VIEIRA                                         1:726$150

 - FL.070 -

 Tutor dos Órfãos : MANOEL MARTINS FERREIRA.

 CERTIDÃO DE CASAMENTO DE LAURIANA DE SOUZA MONTEIRA E  MANOEL  JOAQUIM
 DE ANDRADE.

 ...(ilegível) trinta e um dias (ilegível)  mil  setecentos  (ilegível)
 oito (ilegivel)  horas do dia na capela da Conceição da Barra,  filial
 desta Matriz, feitas as denunciações da forma do  sagrado  concílio  e
 constituição sem descobrir impedimento algum como constou da  Provisão
 do Reverendo Doutor Vigário da Vara,  o  Reverendo  ANTONIO  DE  SOUZA
 MONTEIRO GALVÃO, com licença  do  Reverendo  Pároco  em  presença  das
 testemunhas o Padre Mestre MANOEL FERREIRA GODINHO  e  FRANCISCO  JOSÉ
 TEIXEIRA, administrou o sacramento do matrimonio que por  palavras  de
 presente celebraram  MANOEL  JOAQUIM  DE  ANDRADE  filho  legítimo  de
 ANTONIO DE BRITO PEIXOTO e  de  MARIA  DE  MORAES  RIBEIRA  natural  e
 batizado na Freguesia das Lavras e LAURIANA DE  SOUZA  MONTEIRA  filha
 legítima de ANDRÉ MARTINS FERREIRA e MARIA DE SOUZA MONTEIRA,  natural
 e batizada nesta Freguesia de São João del-Rei  e  logo  lhes  deu  as
 bençãos na forma do Ritual Romano (ilegível) juro  un  verbo  parochi.
 O coadjutor JOAQUIM PINTO DA SILVEIRA.

2 thoughts on “André Martins Ferreira

  1. Aqui no Rio Grande do Norte viveu João Martins Ferreira casado com Josefa Clara Lessa. Existe também uma família Sousa Monteiro. Será que nosso pessoal daqui tem alguma coisa a ver com a família de vocês?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *