O acidente

Convalescência: lição de paciência!

Em primeiro lugar, faço questão de dizer: é DESUMANO usar o mouse com a mão esquerda! Deus! Não tenho coordenação motora suficiente para tanto! É muita informação para minhas parcas capacidades cerebrais masculinas!

E ainda: digitar com uma só mão dá nó na cabeça. Principalmente na hora dos Ctrl’s, Tab’s e Alt’s da vida. Não. Calma. Eu ainda tenho minha outra mão. Bem, quase.

Juntamente com minha perna esquerda que está enfaixada e esticada (ô, posição ridícula na frente do computador), meu punho direito também está avariado. Resultado de uma bobagenzinha de nada. Coisinha à toa. Só deu PERDA TOTAL no carro…

Não vou me alongar nos comentários, até porque, em tese, estou de repouso absoluto. Foram necessários dois dias para que eu pudesse chegar próximo do computador. Basta informar que eu perdi a direção do carro próximo do Parque da Cidade, em São José dos Campos, e peguei uma árvore na contra-mão. Segundo o Paulo, um legítimo atentado contra a Natureza…

Apesar do estrago, fora a auto-lesão no condutor que vos fala, graças a Deus ninguém se feriu. E olha, tenho que dar a mão à palmatória: esse negócio de cinto de segurança funciona mesmo! Só esquecem de mencionar a dor…

Dêem uma olhada abaixo no que restou após o último galope do Corsa.

Uma geral...

O lado da batida.

Olha o ESTADO da roda...

E as lasquinhas da árvore?

E eu tava lá dentro?

Tirinha do dia:
Desventuras de Hugo...

13 thoughts on “O acidente

  1. Olá!
    Que cacetada boa hein!? INteressante a parte em que a coitada da planta veio na contra-mão…
    Já tive um momento assim, minha ex-finada Parati 88 foi “enrabada” literalmente por uma moto que ficou “estacionada” no banco traseiro, o piloto passou por cima e caiu 15 metros a frente (mas sobreviveu).
    Minha dor maior foi pagar as últimas 3 prestações do financiamento sem ter o veículo.
    Isso foi em 1989.

  2. Eme, no que diz respeito à tal da árvore, segundo o Pepe, um amigo meu, quando soube do horário em que se deu o acidente, simplesmente disse: “Bateu numa árvore? Às onze da noite? E isso lá é hora de árvore decente estar na rua???”

    Mas em se tratando de dor (moral), certamente não por um modo tão traumático, mas sei bem do que você está falando. Há pouco tempo vendi uma Parati e comprei um Corsa. A bem da verdade, já a alguns meses. Mas ainda CONTINUO PAGANDO o carnêzinho com a prestação dos pneus novos que foram com a Parati!!!

    É de espanar…

  3. Puxa! tava pensando que era uma bobeira qualquer, mas você quase morreu; vendo pelo estado do carro.
    Foi mal primo. O importante é que agora “você tá bem”.

    É muito chato quando estamos passando por alguma coisa, e alguém diz frases do tipo.
    “Nada acontece por acaso”
    ” Deus sabe o que faz”
    etc…

    Mas nesse caso sou obrigada a concordar!!

    VOCÊ VAI FICAR BEM!!

  4. Ei, prima! Don’t worry, be happy…

    Já tem alguns anos do acidente e somente agora é que realmente pintou a “necessidade” de fazer uma cirurgia pra botar o joelho no lugar!

    E, na boa? Eu acho sim que “nada acontece por acaso”. Até porque, de uma maneira beeeeeem torta, se não fosse tudo isso não estaríamos aqui conversando agora, não é mesmo?

    Beijão!

    😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *