Os fantásticos mundos de Robert E. Howard – IX

O Tigre da Atlântida

A história publicada em ESC (Espada Selvagem de Conan) nº 73 é a “origem” do Rei Kull, a qual foi publicada originariamente no primeiro número da revista do personagem nos EUA, em 1971. Nela, Roy Thomas condensa, através de flash-backs, o conto Exiles of Atlantis, de Robert E. Howard, e introduz Brule, o bárbaro das ilhas Pictas que se torna o melhor amigo do rei.

A lenda de Kull ganhou vida em agosto de 1929, quando a revista Weird Tales publicou o primeiro conto do personagem, The Shadow Kingdom. A ação se desenvolvia na era pré-Cataclísmica, aproximadamente há 20 mil anos, narrando a história de Kull, um bárbaro criado por tigres nas florestas de Atlântida, e sua luta para defender o trono que usurpou em Valúsia, maior reino do continente thuriano.

Howard pode ter sido inspirado a escrever sua fantasia heróica baseado em reinos exóticos de eras esquecidas por seu amigo Clark Ashton Smith, que publicou em junho de 1930, em Weird Tales, a primeira de uma série de histórias sobre Atlântida. Smith, Howard e H. P. Lovecraft, os principais escritores de Weird Tales, tinham o costume de trocar manuscritos originais para considerações entre si.

Ao todo, Howard escreveu ou começou a escrever treze narrativas sobre o mundo de Kull. Mas apenas duas acabaram sendo publicadas em Weird Tales. Somente 30 anos após a morte do autor, as demais histórias foram descobertas e publicadas, revelando que o primeiro conto de Conan não passava de uma adaptação de uma história de Kull, com os nomes dos personagens alterados.

De todo modo, The Shadow Kingdom tornou-se um marco para os estudiosos, consagrando-se como a configuração do gênero Sword and Sorcery (espada e feitiçaria). Howard reuniu três estilos numa única embalagem: os resplandescentes reinos de magia esquecidos de Clark Ashton Smith, o horror e o mal pré-humano de H. P. Lovecraft, e o heroísmo de capa-e-espada, de Harold Lamb, Rafael Sabatini e Talbot Mundy.

Quatro anos depois de escrever as histórias de Kull, Howard chegou ao ápice de sua conjuração literária de guerreiros bárbaros, princesas exóticas, bandidos sanguinários em reinos imaginários, repletos de cidades em ruínas, campos de batalhas épicas, feitiçaria e maldade ancestral, numa história chamada The Phoenix on the Sword. O herói da história se chamava Conan.


(anterior)                        (próximo)
  (Publicado originalmente em algum dos sites gratuitos que armazenavam o e-zine CTRL-C)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *