Comer, rezar, amar (de novo)

Mais duas tiradas do mesmo livro:

Sobre depressão:

Quando se está perdido nessa selva, algumas vezes é preciso algum tempo para você se dar conta de que está perdido. Durante muito tempo, você pode se convencer de que só se afastou alguns metros do caminho, de que a qualquer momento irá conseguir voltar para a trilha marcada. Então a noite cai, e torna a cair, e você continua sem a menor idéia de onde está, e é hora de reconhecer que se afastou tanto do caminho que sequer sabe mais em que direção o sol nasce.

Sobre aprendizado:

(…) você tem de ser muito gentil com você mesma quando estiver aprendendo alguma coisa nova.

2 thoughts on “Comer, rezar, amar (de novo)

  1. Esse livro, até o ponto que li, tem sido ótimo. O difícil é “tomá-lo” de volta da Dona Patroa – que pegou gosto por ele e não tem me deixado continuar a leitura… 🙁

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *