Triglicérides – O Retorno

Diz a velha anedota que o caboclo foi ao médico e recebeu um monte de recomendações restritivas. “Não pode isso, não pode aquilo, não pode aqueloutro, esse muito menos, iihhh – esquece esse aí, então.” O caboclo não teve dúvidas. Deixou de ir ao médico.

Mas a idade vem chegando, os quatro-ponto-zero já se avizinham e um checkup era imprescindível.

E – É LÓGICO – tinha enrosco.

E lá vamos nós de novo com os malditos triglicérides e colesterol – sempre em alta.

Recentemente (2006???) isso já aconteceu. Tá tudo aqui e aqui.

E o que vem a ser essa merda esse distúrbio? Caracteriza-se pelo aumento das taxas sanguíneas de triglicérides, o que pode formar placas de gordura que se acumulam nas paredes das artérias, dificultando a circulação. Normalmente está associado a um aumento das taxas de colesterol sanguíneo (jura?).

Então segue abaixo uma orientação dietética (mas lembrem-se de procurar um médico de verdade!):

Alimentos proibidos:
– açúcar, mel, doces, sorvetes, gelatinas; (ouch!)
– pudim, compotas, frutas secas e cristalizadas; (nem gosto de compotas…)
– roscas, tortas, balas, biscoitos, chocolates; (hmmm… chocolate…)
– massas como: lasanha, caneloni, ravióli; (passo muito bem sem nada disso!)
– pizzas; (CUMÉQUIÉ???)
– farinhas (mandioca, milho, trigo, aveia); (ainda tô pensando nas pizzas…)
– refrigerantes; (fácil, fácil!)
– bebidas alcoólicas.(NÃÃÃÃÃÃÃÃÃÕOOOO!!!!!)

Alimentos restringidos:
– bolachas de água e sal, de água e torradas; (tá me achando com cara de papagaio?)
– batata, mandioca, beterraba, arroz, macarrão, milho verde; (suuuuuper legal…)
– feijão, ervilha, soja, lentilha, vagem. (será que “feijoada” pode ser considerado “feijão”?)

Alimentos permitidos:
– leite desnatado, café, chá, suco de frutas; (ipi. ipi. hurra.)
– queijos;(tá certo que sou filho de mineiro, mas péralá, né!)
– carnes magras; (sem a gordurinha? que graça tem?)
– óleo vegetal em pouca quantidade; (deve ser pra não ranger…)
– frutas; (que outras frutas existem no mundo além de banana, maçã e laranja?)
– verduras e legumes. (e agora tá me achando com cara de coelho…)

Recomendações:
– utilizar adoçante no lugar do açúcar; (prefiro amargo àquela coisinha insossa)
– praticar exercícios físicos regularmente. (vai esperando, então…)

9 thoughts on “Triglicérides – O Retorno

  1. Caríssimo Marcelo, neste momento faltam-me palavras para expressar meus mais profundos sentimentos acerca deste seu comentário!

    Ainda assim se quiser pagar um suco de laranja e uma porção de queijo branco (sem sal), será bem vindo…

    🙁

  2. “A VOLTA DOS QUE NÃO FORAM”…

    Oh, não!!!! Novamente churrascos de carne de soja regados a Clight sabor carambola e alface a vinagrete para acompanhar??????…

    Eu tô com o meu pedido de exame desde novembro aqui e até agora não me meti a besta de ir lá naquele laboratório cruel, onde aqueles vampiros querem o meu sangue para devassar os meus leucócitos, hemoglobinas e afins, depois de doze horas de torturante privação alimentícia! E depois ainda me fazem levar um envelope para o meu cardiologista fazendo um monte de fofoca do que eu (não) tenho feito…

    Mas seu post me encorajou! Que se faça o sacrifício! Agora já tenho um companheiro para um espetinho de glúten.

    Abraço!

  3. Como assim “novamente”? Esqueceu que sou extremamente cumpridor da famosa regra de não cumprir regras?

    Tá, eu sei, pode chamar isso de “auto engano” (com hífen, sem hífen ou junto – a gosto do freguês).

    Mas faça mesmo o exame, copoanheiro! E compararemos os resultados depois! E um brinde de água mineral diet sem gás e sem açúcar para comemorar!

    Abração!

  4. Meu caro, lamento lhe informar que esse é um problema sem solução. Ou melhor, aconselho a partir para os remédios logo. Explico: sofro dos mesmos problemas. Colesterol geneticamente alto (não adianta comer só mato que não baixa) e triglicerides altíssimos decorrentes da alimentação rica em carboidratos e álcool – itens que não consigo abrir mão de jeito nenhum.

    O colesterol venho controlando há anos à base de estatinas (funcionam mesmo, mas as boas, tipo Lipitor, são caras). Terei que usá-las até o fim da vida, não há opção.

    Já os trigli…vixe, esses são mais dificeis. Ficar sem cerveja, pão e arroz? Isso lá é vida? No caso, caminhadas regulares ajudam bem, isso até encaro…

    Em resumo, não acredito que nêgos como nós se adaptem a dietas. No começo vai, mas o emocional as derruba, sempre.

    abraço

  5. Bem, copoanheiro, a questão é que até consigo me virar bem sem o pão, o arroz, etc. Agora o tar do árcool… aí é complicado! Já faz parte de uma tradição nacional – e sou um cara tradicionalíssimo!

    O jeito é “investir” em caminhadas, pois, no que depender de mim, de remédios eu fujo mais que todo o resto!!!

    Abração!

  6. Olá ´José Luis Soares, pois é meu amigo, temos o mesmo problema, até fiquei feliz, porque há 7 meses tô numa dieta lascada, só mato, nada de macarrão, pães, bolos, etc e meu tri, abaixou muito pouco, mudei de medicação, comecei com fenofibriato e agora tô no zetia, vamos ver…

    Abraços.

    Angelita

  7. É REALMENTE COMPLICADO! COMER OU NÃO COMER… CAMINHAR SERÁ
    TENHO UMA FACILIDADE INCRIVEL DE PERDER PESO, SE NÃO ME ALIMENTO BEM, O PESO LOGO CAI. A SOLUÇÃO SERIA FAZER CAMINHADA? UMA HORA DE CAMINHADA QUEIMA CERCA DE 600 CALORIAS. UMA REFEIÇÃO BÁSICA REPÕE CERCA DE 2.500. EIS A QUESTÃO
    -COMER TUDO, MANTER O PESO, MERRER CEDO
    -COMER REPOLHO, ALFACE, AGRIÃO… FICAR BEM MAGRINNNNNNHO E VIVER UM POUCO MAIS. BONITO E MORTO OU FEIO E VIVO???
    QUANTO A BEBIDA, TOMEI TODAS, DE CERVEJA A BACURAL, DE WISQUE A RAIZ DE PAL. PORÉM, HA 10 ANOS ACHAI ALGO MELHOR DO QUE O ALCOOL, O SENHOR JESUS, E ELE TORNOU-SE PARA MIM A FONTE DE TODA ALEGRIA. SEM NENHUN PREJUISO A SAUDE.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *