Ensinagem

“Ensinagem” = Ensino + Aprendizagem .

Teoria interessante, pela qual ambos – aluno e professor – têm um mútuo aprendizado através da troca de experiências. É lógico que se faz necessário ter a cabeça aberta o suficiente para tanto – principalmente quem ensina…

4 thoughts on “Ensinagem

  1. A formulação que a combinação de palavras poderia se ter a transferência dos predicados positivos das duas para que o entendimento seja feito de forma a alcançar o que não se consegue com o uso das suas partes simples, torna-se, prima facie, tolo como se pudesse fazer o que as crianças gostariam de somar duas características de um animal e obter, com sucesso, um híbrido que satisfizesse o seus desejos com o cãogato…
    O Brasil de veria ter bons pedagogos que soubessem se dedicar à pedagogia e não criar tolices

  2. Discordo veementemente.

    Já está mais que comprovado que o sistema estabelecido simplesmente NÃO funciona. Até que existem pontos bons e fortes – mas são totalmente suplantados pelos pontos ruins e fracos.

    Novas abordagens são necessárias, eis que nossas crianças têm a capacidade de reinventar as regras a todo momento, supreendendo os pedagogos “tradicionais” em becos que jamais haviam previsto. Qualquer um que já tenha estado frente a uma sala de aula – quer seja de adultos ou de crianças – sabe que é no ensino que efetivamente acabamos por aprender completamente a matéria lecionada.

    E é por isso que vejo com bons olhos essa ensinagem

    E no que diz respeito à palavra em si, não vejo problema ou tolice em sua construção. A língua de um povo é total e completamente dinâmica e deve ser vista como matéria-prima para moldar novos conceitos. Lewis Carroll sabia disso e, à sua época, brincou à vontade tanto com a lógica quanto com as rígidas regras gramaticais britânicas…

    Para um exemplo mais próximo, temos as palavras de Ziraldo, ditas numa entrevista à revista Língua Portuguesa: Sou fascinado pela palavra. Imagina você quando percebi que, em português, a palavra “palavra” contém em si os termos “pá” e “lavra”. Ela é a matéria-prima e ao mesmo tempo o instrumento para trabalhá-la. Disse isso ao Drummond e ele adorou.

  3. Bem estou estudando psicologia e vi este termo na apostila achei estranho criarem uma palavra nova, é como o uso da palavra presidenta, mas tudo bem. Penso que pensar novas formas de melhorar as coisas, ou mesmo o ensino e aprendizado , sempre é algo importante.
    Daí a ensinagem ser algo mutúo o nome não indica muito pelo que percebo, mas a idéia em si é boa, talvez um novo nome a exemplifique, e isto de certa forma naturalmente acontece, ou pode ser proposto. Em todo caso, boa iniciativa. A questão é mesmo todo o contexto e enfim este ponto aí da ‘cabeça aberta’, talvez sirva para certas pessoas, nem sempre possa ser o modelo. Este é o problema de quando se aplica teorias ao todo, são boas para uns, e para outros não. É preciso um tudo no todo, e uma multiplicidade de conceitos única que de fato funcione, independente da mudança de pequenas nuances com um ou outro aluno. Em todo caso, bom é o aluno que se esforça, e este consegue independente do método, portanto o método conservador, apesar que se tente mudar, ainda parece ser o melhor, mesmo com suas modernidades e tentativas de adaptação. Claro, tudo depende o contexto e de com quem falamos, já foi dito. até logo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *