Happy Christmas

Simples assim…

 

So this is Christmas
And what have you done
Another year over
And a new one just begun
And so this is Christmas
I hope you'll have fun
The near and the dear one
The old and the young

A very Merry Christmas
And a happy New Year
Let's hope it's a good one
Without any fear

And, so this is Christmas
For weak and for strong
For rich and the poor ones
The world is so wrong
And so happy Christmas
For black and for white
For yellow and red ones
Let's stop all the fight

A very Merry Christmas
And a happy New Year
Let's hope it's a good one
Without any fear

And so this is Christmas
And what have we done
Another year over
A new one just begun
And, so happy Christmas
We hope you have fun
The near and the dear one
The old and the young

A very Merry Christmas
And a happy New Year
Let's hope it's a good one
Without any fear
War is over, if you want it
War is over, now

Happy Christmas!

Eu quero apenas

Então.

Na minha eterna busca pela luz no fim do túnel (e que não seja um trem na contra mão…) eis que me deparo com mensagens lindíssimas, mesclando texto com imagens…

Legal.

Muito legal.

Mas…

Será só isso? Será que é mesmo isso? Não querendo parecer “melhor, impossível” pergunto aos meus cabisbrunhos botões: será? Nesse imediatista mundo facebookiano, em que ilações viram verdades absolutas, onde cada vez mais menos se avalia e mais ainda se julga, onde é que foi parar o gosto pela brincadeira? O regozijo pela felicidade alheia? A alegria pelo trocadalho do carilho? Quero leveza, sim, e, ainda, “quero ter um milhão de amigos para bem mais forte poder cantar”

E meu canto será de alguém com esperança e tranquilidade. De quem está cansado do cinza da opinião alheia e que procura quem consiga ainda ver a beleza de um arco-íris, a cor no nome das pessoas e o cheiro das lembranças. De quem possa olhar pra frente e dizer nos meus olhos “vem, me acompanha, que te sigo” – e juntos possamos desbravar os locais por onde já passamos e chegar no conhecido lugar em que jamais estivemos. E que nessa viagem dentro da viagem deixemos de lado todo esse mundo vil, pequeno e mesquinho, virtualmente centrado nos próprios umbigos dos eternamente insatisfeitos mal amados que procuram afirmação, simplesmente curtindo e compartilhando a alegria de con-viver.

Simples assim…

Roberto Carlos – Eu quero apenas

 
Sim, isso é Roberto Carlos. E, sim, a letra é MUITO bonita…

Música do Dia

Diazinho chuvoso e eu no volante vindo para o trabalho.

Como de praxe, com o som ligado.

No pendrive, rodando aleatoriamente, uma música que teria tudo a ver com o mênstruo dia que se descortinava lá fora. Six cold feet, com Hugh Laurie (sim, aquele cara do House). Também, como de praxe, a mente começou a divagar sobre o que escrever por aqui sob a batuta dessa música…

Mas então percebi que não precisava ser assim. O dia lá fora não tinha necessariamente que refletir meu estado de espírito. Ou o contrário. Meio MIB II isso… Avancei para a próxima música. Desta vez Um blues, com Bruna Caram. Mesma situação. Vamos pra próxima.

Ah, agora sim! Uma música alegre, pra quebrar essa rotina! Essa em especial nunca consegui ouvir sem pensar no tom quase circense que ela traz. Assim, independentemente da letra (até porque praticamente TODAS as letras desse conjunto seguem a mesma regra romântico-cataclísmica), com vocês Los Hermanos e sua contagiante Descoberta!

(Sim, basta clicar no botãozinho “Play” aí embaixo…)