Por uma noite de sono

 
Eu, ainda tentando dormir... :-/

Caos…

Já lhes disse inúmeras vezes por aqui: a vida é caótica e não temos nenhum controle sobre ela. Quando muito um fluxo a se seguir e a se deixar levar. Uma correnteza.

Quanto antes tivermos consciência disso, quanto antes daremos os primeiros passos para a verdadeira felicidade… Ao menos é o que acho.

Temos que ter em mente que não temos controle de nada. Que quanto mais tentamos gerar controle e domínio sobre as coisas do dia-a-dia que nos cerca, mais tudo isso nos escapa pelas frestas entre os dedos de nossas mãos.

Mas, ainda assim, às vezes cansa…

Às vezes a realidade nos aborda com tantas variáveis ao mesmo tempo que, por mais que queiramos somente seguir o fluxo, a vontade é de fugir, deixar tudo pra trás, apertar o botão do “foda-se”… É uma insana corrida, onde de quando em quando estamos na frente, mas, noutros momentos, cada um de nossos problemas e adversidades, um a um, vai nos deixando pra trás…

E infelizmente não viemos com um alter-ego que nos coloque de lado – ainda que por alguns momentos – e resolva todos nossos problemas de imediato…

Oi?

Não sabem do que estou falando?

Ora, do Capitão Caos, é lógico!

(Aumente o som e curta esse herói…)

😀


Do filme “The Cannonball Run” (1981)…

 

Sense8

Sei que é um título estranho para um post, mas essa “palavra”, Sense8, é nada mais que um trocadilho com a palavra inglesa sensate, ou seja, alguém consciente, com apelos sensoriais.

E é também uma série de ficção que muitas pessoas já tinham me recomendado e até há pouco tempo eu não estava com disposição de assistir… Coisa de quem já acompanha uma pancada de séries! Mas rendi-me ao inevitável, numa bela manhã de domingo procurei na Rede e numa tacada só já baixei os 12 episódios da primeira temporada, cada um com aproximadamente uma hora. Comecei a ver o primeiro ali, no computador mesmo, e de repente percebo uma sombra em pé logo atrás de mim: meu filhote mais velho. Depois de uns quinze minutos e já presos pela curiosidade, parei, passei todos os arquivos para um pendrive e fomos assistir mais confortavelmente na TV da sala. Só fomos parar no NONO episódio – ainda assim só porque precisávamos jantar!

A série conta a história de oito estranhos, cada qual de uma cultura diferente, espalhados pelo mundo. Começa quando, subitamente, todos têm a mesma visão da violenta morte de uma mulher misteriosa e, a partir de então, passam a perceber que estão mental e emocionalmente ligados um ao outro, sendo capazes de se comunicar, sentir e apoderar-se do conhecimento, linguagem e habilidades entre eles, independentemente da distância que os separa.

E, a cada episódio, vai aumentando essa conexão e, ao mesmo tempo, revelando o mistério por trás dessa relação, inclusive com o surgimento de outros sensitivos misteriosos, bem como a existência de uma organização que caça pessoas como eles.

Mas hoje não estou aqui somente para recomendar essa série. Estou aqui para mostrar uma delícia de vídeo que “mostra” essa conexão, um que tirei lá do quarto episódio, com a música What’s going on, do grupo 4 Non Blondes.

Deleitem-se!