Receita de Primavera

Pegue alguns passarinhos
de todos os tamanhos…
Escolha os bem ruidosos
e junte às borboletas.
Mas não guarde nem faça nada…
Pegue sem segurar,
capture com o olhar.
Separe umas formiguinhas
e abelhas pequenininhas.
Adquira piados,
coaxos e zunidos.
Ouça de olhos fechados
e alma escancarada.
Despeje alguns sorrisos,
uma ou outra gargalhada.
Aqueça o sol por primazia
até dourar o coração.
Assopre uma brisa fresca
e reserve muitas cores
(despreze o cinza).
Salpique pétalas de flores e espera…
Já, já está pronta a Primavera!

Rossana Masiero

Dica de autoajuda

Ler poesia é mais útil para o cérebro que livros de autoajuda, dizem cientistas

“O objetivo do poeta não é descobrir novas emoções, mas utilizar as corriqueiras e, trabalhando-as no elevado nível poético, exprimir sentimentos que não se encontram em absoluto nas emoções como tais.” (T. S. Eliot)

Ler poesia é mais útil para o cérebro que livros de autoajuda, dizem cientistas
Ler autores clássicos, como Shakespeare, William Wordsworth e T.S. Eliot, estimula a mente e a poesia pode ser mais eficaz em tratamentos do que os livros de autoajuda, segundo um estudo da Universidade de Liverpool.

Especialistas em ciência, psicologia e literatura inglesa da universidade monitoraram a atividade cerebral de 30 voluntários que leram primeiro trechos de textos clássicos e depois essas mesmas passagens traduzidas para a “linguagem coloquial”.

Os resultados da pesquisa, antecipados pelo jornal britânico “Daily Telegraph”, mostram que a atividade do cérebro “dispara” quando o leitor encontra palavras incomuns ou frases com uma estrutura semântica complexa, mas não reage quando esse mesmo conteúdo se expressa com fórmulas de uso cotidiano.

Esses estímulos se mantêm durante um tempo, potencializando a atenção do indivíduo, segundo o estudo, que utilizou textos de autores ingleses como Henry Vaughan, John Donne, Elizabeth Barrett Browning e Philip Larkin.
Os especialistas descobriram que a poesia “é mais útil que os livros de autoajuda”, já que afeta o lado direito do cérebro, onde são armazenadas as lembranças autobiográficas, e ajuda a refletir sobre eles e entendê-los desde outra perspectiva.

“A poesia não é só uma questão de estilo. A descrição profunda de experiências acrescenta elementos emocionais e biográficos ao conhecimento cognitivo que já possuímos de nossas lembranças”, explica o professor David, encarregado de apresentar o estudo.

Após o descobrimento, os especialistas buscam agora compreender como afetaram a atividade cerebral as contínuas revisões de alguns clássicos da literatura para adaptá-los à linguagem atual, caso das obras de Charles Dickens.

Responsabilidade responsiva

Ainda que minha preferência sempre tenha sido pela escrita, com textículos, textáculos e sagas divididas em episódios, volta e meia costumo inserir imagens, vídeos e músicas para ilustrar ainda mais a ideia que pretendo passar.

Desde os primórdios do Legal, já no formato de blog, sempre fui tentando acompanhar a evolução da tecnologia para garantir a acessibilidade visual e auricular de quem costuma me visitar aqui neste nosso cantinho virtual. No início era HTML puro mesmo, esculpido linha por linha, comando por comando e mais uma ou outra coisinha de Java aqui e ali…

Depois eu descobri o WordPress: uma plataforma que já vinha com temas prontos e, por trás, no formato de uma base de dados para inserir os posts, comentários, facilitando buscas, etc. Durante todos esses anos lembro-me de apenas umas três alterações: comecei com um tema “clean”, mudei para um “envelhecido” e, até há pouco tempo, usava o formato de “caderno de notas”. Nada demais em nenhum deles, apenas um visual mais aconchegante e que ainda me permitia um certo domínio das linhas de código.

E eis que o Flash (o da Adobe, não o da DC), de uma hora para outra, não seria mais utilizado como “motor multimídia” no WordPress… Fucei, explorei, cacei plugins estranhos e ferozes nas mais obscuras selvas virtuais e encontrei algo meio que mesclado com o tal do HTML5, mas que manteve os vídeos e músicas funcionais. Ao menos nos computadores. Já nos celulares simplesmente não rodava. Paciência.

Porém, cada vez mais, menos pessoas acessam a Internet por seus computadores. É lógico que ainda os utilizam – e muito! Mas com o advento dos smartphones, celulares com cada vez mais recursos, o acesso se dá a qualquer hora em qualquer lugar. Não é mais necessário chegar no trabalho ou voltar pra casa para poder acessar seu perfil nas redes sociais ou visitar seus blogs favoritos (sim, ainda tem muita gente que nos visita e vamos muito bem, obrigado).

Foi então que percebi que estava na hora de mais uma atualização. Ficar ampliando a tela ou tentando clicar em botões microscópicos pelo celular (ainda que no computador apareçam como “normais”) é simplesmente cansativo. Acaba afugentando as pessoas.

Já havia passado da hora de tornar o Legal um site “responsivo”.

“E que raios é isso?”, perguntar-me-iam vocês. Respondo-lhes eu, com uma explicação de bate-pronto, assim de cabeça (mas, na verdade, descaradamente roubartilhado daqui):

Design Responsivo é quando o site automaticamente se encaixa no dispositivo do usuário (PC, celular, tablet, etc). Um site responsivo muda a sua aparência e disposição com base no tamanho da tela em que o site é exibido. Então, se o usuário tem uma tela pequena, os elementos se reorganizam para lhe mostrar as coisas principais em primeiro lugar.

Locais sensíveis podem ser projetados para tornar o texto na página maior e mais fácil de ler em telas menores. Eles podem também ser configurados para tornar os botões na tela do telefone mais fácil de pressionar. Você terá botões maiores, mais espaço em branco entre os elementos para evitar a ativação acidental, e assim por diante. Formas mais sofisticadas de usar o design responsivo em um dispositivo móvel incluem: a formatação do site para ocultar ou apresentar a informação completamente diferente, mudando radicalmente os gráficos e cores, ou até mesmo reduzindo o site para enfatizar apenas um pedaço da sua mais importante.

Ou seja, não importa através de qual dispositivo você venha a acessar o Legal, ele estará mais “amigável” daqui pra frente.

Fui atrás de algum tema específico pra isso, mas que me permitisse ainda dar meus próprios pitacos no visual e arranjei este que agora está aqui. Tá, tá, sei que não é lá grande coisa, mas ainda tô trabalhando nele, tá bom? Tenham paciência enquanto tento arranjar tempo pra isso, ok?

Enfim, apesar da recém adquirida “responsividade” (que horrível, isso!) do Legal, ainda permanecia o fato de que as mídias simplesmente não funcionavam no celular.

Mas… Seus problemas acabaram! E nem foi preciso ajuda das Organizações Tabajara… Esse novo tema que escolhi funciona de uma maneira bem mais integrada com as últimas versões do WordPress, permitindo o fácil acesso a uma biblioteca de mídia que trabalha totalmente em consonância com os posts!

Oi? Não entendeu nada? Não tem problema. O que interessa é que a bagaça funciona!

Já andei fazendo alguns testes com o vídeo do post anterior, mas ainda estava em dúvida se tudo também daria certo com áudios MP3. Não estou mais.

E para provar isso, nada melhor que The Blues Brothers com a sempre deliciosa Peter Gunn Theme. Não interessa se você está no computador ou no celular, o que interessa é que você VAI ouvir! Divirtam-se! 🙂