Filosofia do Camelo

Nunca fui muito chegado a contos com “fundo moral”, “mensagens de auto-ajuda” e coisas do gênero. Mas de quando em quando acabo recebendo algumas coisas interessantes (e isso serve para que meus amigos saibam que eu efetivamente leio TODOS meus e-mails – ainda que não mande tantos quanto recebo). Essa recebi da amiga Paula, que está lá em Santo André, e o mais interessante é o tempero com uma bem humorada estorieta. Já a dureza da coisa é quando a gente acha que a carapuça serve…

Uma mãe e um bebê camelos estavam por ali, à toa, quando de repente o bebê camelo perguntou:

– Mãe, posso te perguntar uma coisa?

– Claro! O que está incomodando o meu filhote?

– Por que os camelos têm corcovas?

– Bem, meu filhinho, nós somos animais do deserto, precisamos das corcovas para reservar água e por isso mesmo somos conhecidos por sobreviver sem água.

– Certo. E por que nossas pernas são longas e nossas patas arredondadas?

– Filho, certamente elas são assim para permitir caminhar no deserto. Sabe, com essas pernas eu posso me movimentar pelo deserto melhor do que qualquer um! – disse a mãe, toda orgulhosa.

– Certo! Então, por que nossos cílios são tão longos? De vez em quando eles atrapalham minha visão.

– Meu filho! Esses cílios longos e grossos são como uma capa protetora para os olhos. Eles ajudam na proteção dos seus olhos quando atingidos pela areia e pelo vento do deserto! – respondeu a mãe com orgulho nos olhos…

– Tá. Então a corcova é para armazenar água enquanto cruzamos o deserto, as pernas para caminhar através do deserto e os cílios são para proteger meus olhos do deserto, certo?

– Isso mesmo, meu filho.

– Então o que é que estamos fazendo aqui no Zoológico???

Moral da história:“Habilidade, conhecimento, capacidade e experiência só são úteis se você estiver no lugar certo!”

Então, a pergunta que não quer calar:

Onde está você agora?