Zerando tudo

Bom dia senhoras e senhores!

Hoje o nosso proseio é rápido, mas essencial.

Estamos em agosto de 2018.

Com a pressão que tenho colocado em cima do japonês (até porque quase todos os dias apareço lá na oficina, nem que seja para tomar daquela cachacinha), ele já está nos finalmentes da parte elétrica. Ou seja, está quase na hora de instalar aquele painel que eu reformei.

Só que eu tinha minhas dúvidas se ele realmente estaria funcionando perfeitamente. Quer dizer, as lâmpadas e a placa de circuito impresso eu tinha (quase) certeza que sim. Mas como desmontei ele inteirinho eu gostaria de testá-lo antes de aparafusá-lo no lugar. Foi daí que o japonês sugeriu:

– Ué? Então leva ele lá no Barbosa.

– Cuméquié?

Daí ele me explicou que aqui na cidade de São José dos Campos tem uma oficina chamada Barbosa Velocímetro e Instrumento de Precisão (royalties, please), inclusive autorizada do Inmetro, que faz conserto, manutenção, regulagem e aferição de velocímetros, tacógrafos e outros quetais.

Levei o painel lá e fiquei de buscar dentro de dois dias.

Quando voltei, dentro do prazo, estava prontinho. Já estava colocando debaixo do braço e saindo quando, sei lá de onde, surgiu uma ideia, vinda de parte alguma, mais como um raio atravessando meu cérebro.

– Dá pra zerar?

– Oi?

– Zerar o hodômetro. Dá pra fazer isso? É demorado?

– Não, não é demorado não. Mas isso pode te dar um problemão, hein?

– Fique tranquilo. O carro está desmontado, com mais dez anos de documentação para regularizar, mudei a cor dele e ainda troquei o motor. Um velocímetro zerado seria o menor de meus problemas!

O sujeito deu uma gostosa gargalhada e foi lá para o cantinho dele na oficina para zerar o bichinho. Enquanto isso eu pensava comigo: por que não? Afinal de contas o Titanic de fato está zerado: suspensão nova, freios novos, parte elétrica reconstruída e com o motor retificado. E praticamente não rodou sequer um quilômetro por conta própria (sempre foi guinchado, lembram?). Então nada mais justo que quando ele estiver pronto para rodar começarmos do zero, inclusive com o velocímetro!

Ah, e nessa brincadeira morri com quatrocentos contos…

3 comentários em “Zerando tudo”

  1. Olá Adauto.
    Uma sugestão, porque no lugar do relógio não coloca um conta-giros? Acho que seria mais útil. encontra vários modelos no mercado livre e tem que ser de 52mm, cabe perfeitamente no local do relógio. Saudações.

    1. Buenas, Ricardo!

      Num primeiro momento eu iria deixar aquele conta-giros que você vê ali à esquerda, na saída de ar, e que já estava no carro quando o comprei. Só que na hora de fazê-lo funcionar descobrimos que estava quebrado! Daí realmente eu pensei em colocar um no lugar do relógio, mas como ainda faltam muitos detalhes para concluir O Projeto resolvi deixar para um outro momento, mais para o futuro…

      1. Não tinha notado aquele conta-giros. quando estiver próximo da finalização avise, que eu irei a SJC.
        Já morei ai por 4 anos e gostei bastante.

Deixe uma resposta para Ricardo Poyart Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *