Ouvindo o que mesmo?

O negócio é que tá difícil…

Não, não a vida como ela é. Essa sempre foi impossível.

Mas escrever que é bom, nada. Faz tempo – MUITO TEMPO – que eu não escrevo nada por aqui que me faça ter orgulho… “Bloqueio”? “Branco”? “Bestagem”? Ou qualquer outra motivo que seja, com ou sem a letra B, o negócio é que tá difícil.

Tô trabalhando pra caramba, ganhando lá meus caraminguá, tomando minhas cajibrinas, tendo meus proseios por tudo quanto é canto por aí. Às vezes até vem alguma ideia legal, uma dica interessante, um causinho inédito – mas, não demora muito, desanimo.

Sei lá. Falta inspiração. Falta paixão. Falta tezão.

Então, como ultimamente tenho dividido minhas atividades profissionais com a de “Uber Familiar” (ou seja, passo boa parte do dia levando um filhote prum lado, outro pro outro, pai no médico, mãe na médica, Dona Patroa pra onde ela manda, e por aí afora), essas horas – sim, horas – que passo dentro do carro me servem para curtir minhas músicas. E eu costumava ouvir minhas músicas e viajar nos meus devaneios – que acabavam se transformando num ou noutro textinho – às vezes bão, às vezes nem tanto…

Enfim, sendo assim, resolvi dar uma editada na minha playlist de sempre que me acompanha no pendrive do Bilbo (também conhecido como o Sempre-Valente-Ford-Ka) e coloquei uma batelada de músicas totalmente inéditas para muitos de vocês jovenzinhos, mas que fizeram sucesso nas últimas décadas. E todas, todas, do meu gosto. Que não é lá nada muito refinado, mas é meu.

Mas ainda assim ainda continuo aberto a sugestões, ok?

E vamos ver se dando essa repaginada também dou uma refrescada nas ideias…

Aí embaixo está a lista com todas essas músicas escolhidas a dedo. Caso queiram baixar uma ou mais músicas dessa trilha sonora, tá tudo lá no meu Dropbox. Basta acessar o seguinte link: bit.ly/2J68qkg .

Divirtam-se! 😉

A Light in the black – Rainbow
A View to a Kill – Duran Duran
Aces High – Iron Maiden
All the War – Rival Sons
All you need is love – Beatles
Another Brick in the Wall – Pink Floyd
Aquarius – Hair
Around the World – Red Hot Chili Pepper
Assassin – Muse
Back on the streets – Saxon
Bad To The Bone – George Thorogood
Balls to the Wall – Judas Priest
Bark At The Moon – Ozzy Osbourne
Benzin – Rammstein
Black Betty – Spiderbait
Black Dog – Led Zeppelin
Black Ice – AC/DC
Blaze Of Glory – Bon Jovi
Blowing in the Wind – Bob Dylan
Born In 58 – Bruce Dickinson
Born in the USA – Bruce Springsteen
Born To Be Wild – Steppenwolf
Boys Don’t Cry – The Cure
Breaking all the rules – Peter Frampton
Bringin on the heartbreak – Def Leppard
Close To Me – The Cure
Comfortably Numb – Pink Floyd
Coming home – Stratovarius
Cross of thorns – Black Sabbath
Cum’on feel the noize – Quiet Riot
Desire – U2
Dive! Dive! Dive! – Bruce Dickinson
Don’t stop believer – Journey
Dying for love – Black Sabbath
Eternity – Stratovarius
Favorite Game – The Cardigans
Fire in the sky – Ozzy Osbourne
Flannigan’s Ball – Dropkick Murphys
Forever – Edguy
Freak on a leash – Korn
Friday I’m In Love – The Cure
Gasoline – Kick Harold
Ghost of freedom – Iced Earth
God Save The Queen – Sex Pistols
Golden Daze – Lamont
Hair – Hair
Helter skelter – Motley Crue
Hilf mir – Rammstein
Hit The Road Jack – Ray Charles
I feel good – James Brown
I Love It Loud – Kiss
I love rock and roll – Joan Jett
I Want It All – Queen
If I could fly – Helloween
I’m a believer – The Monkees
I’m Shipping Up To Boston – Dropkick Murphys
Imagine – John Lennon
In The Flesh – Pink Floyd
Into the light – Masterplan
Iron Man – Black Sabbath
It’s My Life – Bon Jovi
Johnny B. Goode – Chuck Berry
Johnny, I Hardly Knew Ya – Dropkick Murphys
Jump – Van Halen
Keep on Swinging – Rival Sons
Knocking on heavens doors – Guns N’Roses
Let It Be – Beatles
Live and let die – Guns N’Roses
Love ain’t no stranger – Whitesnake
Mann gegen Mann – Rammstein
Me and my wine – Def Leppard
Metamorphosis – Metalium
Money For Nothing – Dire Straits
More than a feeling – Boston
My oh my – Slade
Nothing Else Matters – Metallica
On The Road Again – Canned Heat
One of my turns – Pink Floyd
Original sin – Inxs
Over the hills and far away – Nightwish
Owner Of A Lonely Heart – Yes
Paint it black – Rolling Stones
Panama – Van Halen
Pride (In The Name Of Love) – U2
Princess Of The Dawn – Judas Priest
Radio Ga Ga – Queen
Rainbow in the dark – Dio
Raise your hand – Bon Jovi
Rock You Like A Hurricane – Scorpions
Rose Tattoo – Dropkick Murphys
Rosenrot – Rammstein
Rude Awakenings – Dropkick Murphys
Run To The Hills – Iron Maiden
Satisfaction – Rolling Stones
Seven Nation Army – The White Stripes
Shake Your Foundations – AC/DC
She Likes to Hide – Pain of Salvation
Should I Stay Or Go – The Clash
Shout at the devil – Motley Crue
Show me how to live – Audioslave
Sleeping in the fire – Wasp
Slow & Easy – Whitesnake
Smells Like Teen Spirit – Nirvana
Smoke On The Water – Deep Purple
Solitary Ground – Epica
Something to believe in – Poison
Spinning Wheel Blues – Status Quo
Stairway To Heaven – Led Zeppelin
Stiff Upper Lip – AC/DC
Still Loving You – Scorpions
Sunday Bloody Sunday – U2
Sweet child o’mine – Guns N’Roses
Sweet Dreams – Eurythmics
Take hold of the flame – Queensryche
Tell me you don’t know – Pain of Salvation
The Furor – AC/DC
The Jack – AC/DC
The Love Cats – The Cure
The Passenger – Iggy Pop
The price – Twisted Sisters
Thunderstruck – AC/DC
Twist and shout – Beatles
Two Minutes To Midnight – Iron Maiden
Under Pressure – Queen
Walk On The Wild Side – Lou Reed
War Machine – AC/DC
We Are The Champions – Queen
We will rock you – Queen
Welcome to the jungle – Guns N’Roses
When loves come close – Masterplan
When the night comes down – Judas Priest
Who Wants To Live Forever – Queen
Why Can’t I be You – The Cure
Wild Boys – Duran Duran
Wind of change – Scorpions
Wishmaster – Nightwish
You Really Got Me – Kinks
Zombie – Cranberries

Responsabilidade responsiva

Ainda que minha preferência sempre tenha sido pela escrita, com textículos, textáculos e sagas divididas em episódios, volta e meia costumo inserir imagens, vídeos e músicas para ilustrar ainda mais a ideia que pretendo passar.

Desde os primórdios do Legal, já no formato de blog, sempre fui tentando acompanhar a evolução da tecnologia para garantir a acessibilidade visual e auricular de quem costuma me visitar aqui neste nosso cantinho virtual. No início era HTML puro mesmo, esculpido linha por linha, comando por comando e mais uma ou outra coisinha de Java aqui e ali…

Depois eu descobri o WordPress: uma plataforma que já vinha com temas prontos e, por trás, no formato de uma base de dados para inserir os posts, comentários, facilitando buscas, etc. Durante todos esses anos lembro-me de apenas umas três alterações: comecei com um tema “clean”, mudei para um “envelhecido” e, até há pouco tempo, usava o formato de “caderno de notas”. Nada demais em nenhum deles, apenas um visual mais aconchegante e que ainda me permitia um certo domínio das linhas de código.

E eis que o Flash (o da Adobe, não o da DC), de uma hora para outra, não seria mais utilizado como “motor multimídia” no WordPress… Fucei, explorei, cacei plugins estranhos e ferozes nas mais obscuras selvas virtuais e encontrei algo meio que mesclado com o tal do HTML5, mas que manteve os vídeos e músicas funcionais. Ao menos nos computadores. Já nos celulares simplesmente não rodava. Paciência.

Porém, cada vez mais, menos pessoas acessam a Internet por seus computadores. É lógico que ainda os utilizam – e muito! Mas com o advento dos smartphones, celulares com cada vez mais recursos, o acesso se dá a qualquer hora em qualquer lugar. Não é mais necessário chegar no trabalho ou voltar pra casa para poder acessar seu perfil nas redes sociais ou visitar seus blogs favoritos (sim, ainda tem muita gente que nos visita e vamos muito bem, obrigado).

Foi então que percebi que estava na hora de mais uma atualização. Ficar ampliando a tela ou tentando clicar em botões microscópicos pelo celular (ainda que no computador apareçam como “normais”) é simplesmente cansativo. Acaba afugentando as pessoas.

Já havia passado da hora de tornar o Legal um site “responsivo”.

“E que raios é isso?”, perguntar-me-iam vocês. Respondo-lhes eu, com uma explicação de bate-pronto, assim de cabeça (mas, na verdade, descaradamente roubartilhado daqui):

Design Responsivo é quando o site automaticamente se encaixa no dispositivo do usuário (PC, celular, tablet, etc). Um site responsivo muda a sua aparência e disposição com base no tamanho da tela em que o site é exibido. Então, se o usuário tem uma tela pequena, os elementos se reorganizam para lhe mostrar as coisas principais em primeiro lugar.

Locais sensíveis podem ser projetados para tornar o texto na página maior e mais fácil de ler em telas menores. Eles podem também ser configurados para tornar os botões na tela do telefone mais fácil de pressionar. Você terá botões maiores, mais espaço em branco entre os elementos para evitar a ativação acidental, e assim por diante. Formas mais sofisticadas de usar o design responsivo em um dispositivo móvel incluem: a formatação do site para ocultar ou apresentar a informação completamente diferente, mudando radicalmente os gráficos e cores, ou até mesmo reduzindo o site para enfatizar apenas um pedaço da sua mais importante.

Ou seja, não importa através de qual dispositivo você venha a acessar o Legal, ele estará mais “amigável” daqui pra frente.

Fui atrás de algum tema específico pra isso, mas que me permitisse ainda dar meus próprios pitacos no visual e arranjei este que agora está aqui. Tá, tá, sei que não é lá grande coisa, mas ainda tô trabalhando nele, tá bom? Tenham paciência enquanto tento arranjar tempo pra isso, ok?

Enfim, apesar da recém adquirida “responsividade” (que horrível, isso!) do Legal, ainda permanecia o fato de que as mídias simplesmente não funcionavam no celular.

Mas… Seus problemas acabaram! E nem foi preciso ajuda das Organizações Tabajara… Esse novo tema que escolhi funciona de uma maneira bem mais integrada com as últimas versões do WordPress, permitindo o fácil acesso a uma biblioteca de mídia que trabalha totalmente em consonância com os posts!

Oi? Não entendeu nada? Não tem problema. O que interessa é que a bagaça funciona!

Já andei fazendo alguns testes com o vídeo do post anterior, mas ainda estava em dúvida se tudo também daria certo com áudios MP3. Não estou mais.

E para provar isso, nada melhor que The Blues Brothers com a sempre deliciosa Peter Gunn Theme. Não interessa se você está no computador ou no celular, o que interessa é que você VAI ouvir! Divirtam-se! 🙂

 

 

Sinnerman

Eu gosto de ouvir música.

Não, minto.

Eu gosto MUITO de ouvir música.

Invariavelmente, seja no carro, em casa ou no trabalho, sempre coloco alguma música para tocar. E, por conta disso, acabei descobrindo que tenho uma memória mais auditiva que visual – ou seja, sou péssimo para lembrar de pessoas, mas músicas, vozes, timbres fazem minha memória funcionar…

Tudo isso lhes contei só para dizer que dia desses estava eu aqui no computador, fazendo meus trabalhos e pesquisas, ouvindo ao fundo o álbum Pastel Blues, gravado em 1965 pela Nina Simone (valeu tê-la me apresentado, Nydia!). De repente começou a tocar a música Sinnerman (“Pecador”) e, de imediato, reconheci aquele toque de piano. Mas como assim? Era a primeira vez que eu estava ouvindo aquele álbum! De onde será que conhecia essa música?

E em poucos segundos a minha memória desarquivou a informação: a série Lucifer. Fui conferir e descobri que ele cantou a mesmíssima música no sexto episódio da primeira temporada. Detalhe: eu assisti esse episódio em março do ano passado!

Mas, não sei como, me lembrei disso…

Enfim, a música é muito boa. E serve para que vocês possam conferir a performance de Lucifer Morningstar ao piano.

E, aqui, vocês podem ouvir a versão original, na voz de Nina Simone.

Sen-tido!

Eu se ri…