Papa Bento XVI anuncia demissão

E eu que nem sabia que os Papas podiam se demitir…

Em comunicado divulgado hoje pelo Vaticano, o papa Bento XVI (o alemão Joseph Ratzinger, 85 anos) anunciou que deixa o pontificado no dia 28 de fevereiro deste ano. A renúncia é a primeira de um papa na era moderna.

Caríssimos Irmãos,

convoquei-vos para este Consistório não só por causa das três canonizações, mas também para vos comunicar uma decisão de grande importância para a vida da Igreja. Depois de ter examinado repetidamente a minha consciência diante de Deus, cheguei à certeza de que as minhas forças, devido à idade avançada, já não são idôneas para exercer adequadamente o ministério petrino. Estou bem consciente de que este ministério, pela sua essência espiritual, deve ser cumprido não só com as obras e com as palavras, mas também e igualmente sofrendo e rezando. Todavia, no mundo de hoje, sujeito a rápidas mudanças e agitado por questões de grande relevância para a vida da fé, para governar a barca de São Pedro e anunciar o Evangelho, é necessário também o vigor quer do corpo quer do espírito; vigor este, que, nos últimos meses, foi diminuindo de tal modo em mim que tenho de reconhecer a minha incapacidade para administrar bem o ministério que me foi confiado. Por isso, bem consciente da gravidade deste ato, com plena liberdade, declaro que renuncio ao ministério de Bispo de Roma, Sucessor de São Pedro, que me foi confiado pela mão dos Cardeais em 19 de Abril de 2005, pelo que, a partir de 28 de Fevereiro de 2013, às 20,00 horas, a sede de Roma, a sede de São Pedro, ficará vacante e deverá ser convocado, por aqueles a quem tal compete, o Conclave para a eleição do novo Sumo Pontífice.

Caríssimos Irmãos, verdadeiramente de coração vos agradeço por todo o amor e a fadiga com que carregastes comigo o peso do meu ministério, e peço perdão por todos os meus defeitos. Agora confiemos a Santa Igreja à solicitude do seu Pastor Supremo, Nosso Senhor Jesus Cristo, e peçamos a Maria, sua Mãe Santíssima, que assista, com a sua bondade materna, os Padres Cardeais na eleição do novo Sumo Pontífice. Pelo que me diz respeito, nomeadamente no futuro, quero servir de todo o coração, com uma vida consagrada à oração, a Santa Igreja de Deus.

Vaticano, 10 de Fevereiro de 2013.

BENEDICTUS PP XVI

Fonte: Arquidiocese de São Paulo e Agência Brasil

7 thoughts on “Papa Bento XVI anuncia demissão

  1. Também eu não sabia que Papas podiam se demitir de tão alto posto!!! Mas, apesar de não ter simpatizado com ele desde o início, agora tiro o chapéu (?) pra Bento XVI… se o pontificado exige tanto, pq nunca tentaram eleger um mais jovem, sei lá, talvez um cinquentão, ainda com pique pra tantas viagens e afazeres “importantíssimos”? Na idade em que são eleitos, com raras exceções, só dá mesmo pra ficar sentadinhos no belo trono, acho até que o anel deve pesar!! Mas o fato dele admitir isso, já me fez simpatizar um pouco mais, apesar de continuar achando que o João Paulo é que foi “o cara”. Até discordei dele algumas vezes (ah, os dogmas!!!), mas não posso negar que carisma ele teve e muito, ao contrário do Bento!

  2. De fato, não tem como não concordar que João Paulo foi “o cara”…

    Quando do início de seu pontificado, no final da década de setenta, lembro-me que até para o seminário eu pretendia entrar… Mas isso já é uma outra história!

    Não nego que também não fui muito com a cara de Bento XVI. Se seu gesto foi “magnânimo”? Não sei… Sinceramente, não sei. Ainda que soe um pouco como alguma “teoria da conspiração”, parece-me que ele teve tempo mais que suficiente para dar início ao que pretendia e deixar a execução para seu sucessor. Aliás será interessante observar como o Conclave irá se comportar para escolher o sucessor de um Papa vivo? Irá respeitar sua opinião ou seu direcionamento? Procurarão alguém com a mesma linha de pensamento? Mistério…

  3. Acho “magnânimo” um tanto exagerado… talvez minha implicância com o Vaticano esteja falando mais alto, não sei… mas o fato dele abrir mão do pontificado, com todo o poder nele contido, assumindo publicamente sua debilidade, no meu ponto de vista, mostra uma grande humildade (Sinceramente, ele nunca me pareceu humilde) ou medo de algo mais sinistro oculto para os fieis (preciso parar de ler Dan Brown). Enfim, o tempo se encarregará de mostrar a verdade, seja ela qual for! O que sei é que alvoroçou os possíveis candidatos ao trono de Pedro, incluindo os nossos cardeais (pelo menos dois brasileiros aptos)e aí paro com meus palpites…entra a politicagem e fica tudo na mesma

  4. Concordo. Tempo ao tempo e Dan Brown na prateleira!

    O curioso é que, por experiência própria, acabo percebendo que a política/politicagem (na sua pior acepção) costuma ser muito mais ferrenha e presente onde não deveria existir: dentro do Judiciário e nos corredores da Igreja…

  5. A POLÍTICA em sua real acepção, não é o que incomoda, afinal ela está em todos (ou quase) aspectos da vida e considero importante … a POLITICAGEM sim, essa incomoda e muito, a mim, parece suja, vulgar! Essa é que não deveria existir em lugar algum, principalmente dentro da religião!

  6. Concordo. E vamos combinar que, nessa separação de política/politicagem, o último lugar que a politicagem deveria aparecer seria na… política! 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *