Back in Black

25 de julho de 1980.

Eu, então, tinha meus onze anos de idade.

Estudava na quinta série do Colégio Estadual “Dr. Rui Rodrigues Dória” (um grau de excelência à época), sentava na primeira carteira e era um dos mais (senão “o” mais) CDF da sala. Atualmente o termo seria “nerd”.

Somente no ano seguinte é que eu faria uma sólida amizade com um dos alunos mais zoeiros da escola – que estava já na sua terceira passagem pela mesma sexta série – e foi quando aprendi que a vida não devia ser levada tão a sério. Foi também no final desse ano que dei meu primeiro beijo. Não foi nada de tão excepcional e tampouco aquela menina foi marcante em minha vida. Mas novos e interessantes caminhos se abriam…

Em 82, já na sétima série, também encarei meu primeiro emprego: em uma bicicletaria. Fui lá pra “aprender o ofício” somente porque queria comprar uma bicicleta. Desde então eu já era teimoso e persistente. Tá. Turrão, mesmo. Lá conheci os irmãos Jezimiel e Cadimiel, filhos do dono. Ainda que tivéssemos nos estranhado um pouco no início, acabei ficando muito amigo do Cadi e de toda sua família. Os primeiros porres homéricos que tomei foram em sua companhia!

O ano de 83 chegou e foi quando conheci o Ozires, amigo ali do Cadi. Era apenas um amigo do amigo, mas tínhamos algumas coisas em comum. E foi ele quem gravou uma fita (sim, fita cassete, aquela coisa de antigamente) que, dentre outras rockabilidades, tinha a música Back in Black, do AC/DC.

Para mim aquele toque lento e compassado, que se mantinha durante toda a música, combinava perfeitamente com a guitarra que alternava entre altos e baixos, bem de acordo com a voz rasgada do vocalista.

Creio que foi somente uns dois anos depois, já com minha própria graninha, que pude comprar o LP (disco de vinil, aquela outra coisa de antigamente) com todas as músicas daquele álbum. O termo em voga à época era que a agulha iria furar o disco de tanto que tocava…

Enfim, toda essa passagem pitoresca foi só pra ilustrar como e quando comecei a conhecer as músicas do AC/DC – que está na estrada já desde o início da década de setenta. E o dia 25 de julho de 1980, citado lá no começo, foi quando lançaram o álbum Back in Black – que foi o divisor de águas na carreira da banda, catapultando-os para o sucesso mundial, sendo que foi nesse mesmo ano que o inglês Brian Johnson entrou para a banda dos irmãos australianos Malcom e Angus Young. E, com certeza, fez toda a diferença!

Nesse tempo todo já foram mais de 49 milhões de discos vendidos – mas esse número não abrange as cópias e nem as cópias das cópias…

Enfim, mesmo após trinta anos, esse clássico do rock continua atualíssimo, encantando novas gerações e até mesmo servindo de trilha sonora em filmes e seriados atuais (Iron Man e Supernatural, por exemplo).

Na falta de velinhas virtuais para serem sopradas, fica uma palhinha aqui com a música que é o carro-chefe desse álbum.

Senhoras e senhores, com vocês, AC/DC !

( Basta clicar no “play” aí embaixo… )

1 thought on “Back in Black

  1. Sinceramente não sou um dos maiores fans do AC/DC, porém confesso que é impossivel não dar ao menos uma “batidinha de cabeça” ou ficar movimentando os dedos no ar ao ouvir Hells Bells, Back in black entre tantas levadas por eles.

    Abraços

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *