Sexo por obrigação? Agradeço, mas não!

Essa veio da última “Revista da Semana” :

Charla Muller é uma consultora de marketing da Carolina do Norte, nos Estados Unidos. Casada e com dois filhos, há dois anos resolveu dar um presente especial de aniversário ao seu marido, Brad Muller: 365 dias de sexo.

(…)

No décimo mês Charla Muller se arrependeu dessa “estúpida idéia”.

Décimo mês???

Tão rápido assim?…

2 thoughts on “Sexo por obrigação? Agradeço, mas não!

  1. Olha, sei que pertenço à classe e que não devia jogar contra meu próprio time mas às vezes a gente tem cada idéia que não sei de onde tiramos, viu?
    E o pobre do marido, que não tem o direito de recusar o presente um diazinho sequer? É mais ou menos como dar um perfume que a pessoa tem de usar todo dia.

  2. Pois é, Cláudia… Aliás – com todo respeito à classe feminina – há que se considerar que os maridos também de vez em quando têm “aqueles dias”, ou, melhor dizendo, às vezes simplesmente não rola… E tem ainda o curioso desfecho dessa notícia: no final de toda essa história o casal voltou à periodicidade tradicional entre eles (ainda que numa constância um pouco maior) – cerca de seis vezes ao mês…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *