Em busca de problemas

De fato, eu mereço!

Cá estou eu, quieto, na comodidade de meu sacro-santo lar, e mesmo assim não sossego. Acho que pareço aqueles velhos que ficam procurando sarna pra se coçar, só pelo prazer de perturbar.

Ocorre que em frente de casa tem um fio telefônico, de poste a poste, que nem sequer tem a ver com a minha casa e que está “com barriga”, ou seja, está totalmente frouxo, numa altura em que uma pessoa na ponta dos pés conseguiria puxá-lo. Que se dirá então de um carro mais alto que passe por ali?

“Tentando” ser um “cidadão consciente”, lá foi a besta que vos escreve ligar para a Telefônica para que tomasse uma providência. Aviso aos navegantes: simplesmente não existe uma opção para esse tipo de reparo nos infinitos menus e submenus do malfadado “103-15”.

Depois de muuuuuuitos minutos discando, rediscando e ligando de novo, através de caminhos tortuosos, consegui falar com uma pessoa de carne e osso (eu acho). Muitos outros minutos foram gastos para convencê-la de que não, não havia nada de errado com minha linha telefônica, mas sim com a fiação de poste a poste que nada tem a ver com a minha casa. O quê? Se eu quero anotar a ordem de seviço? MINHA FILHA, eu não estou interessado em ordem de serviço nenhuma, só estou tentando relatar um problema!!!

(Arf, arf, arf…)

Enfim, o porquê desse post? Sei lá. Só pra extravasar, eu acho. Ou porque, simplesmente, isso dava um post. Mais provavelmente pelo fato de que esse espaço de desabafo ainda continua sendo mais barato que uma boa psicóloga…

1 thought on “Em busca de problemas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *