Questão de ódio

Eu odeio o Banespa. Eu odeio o Santander-Banespa. Eu odeio o Internet Banking Banespa. Eu odeio a assinatura digital. Eu odeio o “Cartão de Segurança On-Line”. Eu odeio as 1.469 vezes que tenho que digitar, redigitar e digitar novamente as 1.469 senhas exigidas na operação. Eu odeio que o trambolho da homepage demore a carregar. Eu odeio a mensagem “Um script nesta página não está respondendo”. Eu odeio ter que começar tudo de novo porque minha conexão atingiu o “tempo-limite”. Eu odeio que este programa tenha executado uma operação ilegal e será fechado. Eu odeio estar tão frio que minha mão tenha ficado doendo e latejando após o murro que dei no computador.

Simples assim.

15 thoughts on “Questão de ódio

  1. Eu tb odeio muito tudo isso. Mas o que eu mais odeio é que sou obrigada a ter conta neste banco, apesar de toda a irritação que ele causa…ninguém merece!

  2. Mlena, lembre-se que o melhor de tudo é poder entrar no site do “outro banco” e, com apenas alguns cliques, de um modo fácil e objetivo, resolver toooodos os problemas financeiros. É sair do inferno e entrar no paraíso!

    Sheila, faz parte do pacote, zifia, faz parte do pacote…

    Evandro, lembre-se de um dos corolários da Lei de Murphy: “Nada está tão ruim que não possa piorar”.

  3. QUESTÃO DE AMOR….
    1469 vezes eu AMO todos vcs (ADAUTO, MILENA, SHEILA E EVANDRO) e estou morrendo de saudades..A minha mocinha é encantadora…. além de ser cor de rosa.Tb… nasceu no dia de alguém muito especial….NÉ ZIFIO!!??
    Tentei mandar email p/ vcs com fotos, mas a mensagem voltou….entrem em contato..
    Quanto ao artigo… ultimamente eu odeio todos os bancos que eu trabalho, estou com problema no saldo….
    BJS

  4. ZIFIA!!!!

    Você já percebeu que esse negócio de “1469” pegou de vez, né? Estamos todos com saudades também! E loucos para conhecer a zifiazinha da zifia – ouso dizer, futura norinha… 😉

    Insista nos e-mails, pois a Internet aqui do trabalho está que nem Fiat 147: às vezes anda ninguém sabe como, às vezes pára ninguém sabe o porquê. Hoje funcionou direitinho. Até agora.

    No que diz respeito aos bancos, eles teimam em continuar descontando os cheques que passamos. Absurdo. Precisamos tomar alguma providência.

    Um beijão pra toda a patota!

  5. Eu já sabia!!!!
    Como ex-banespiano (ainda estatal), temia pelo que estaria por vir (a “bradescalização”). É que, descontados os desmandos do Estado e as deficiências de sua condição, havia o fator humano, que fazia o diferencial. Agora, o que temos, é a sutil frieza de quem não quer por a mão no fogo por nada (ninguém ali tem alçada para NADA). Não ofereço reciprocidade nenhuma como cliente bancário, mas encontrei, quem diria, na Nossa Caixa, um pouco de dignidade no trato, coisa que sucumbiu com aquele banco privatizado. Tristes trópicos.
    Abs.

  6. Elaine, verdade, pura verdade. Mas que foi infame seu trocadilho – ah, foi!

    Paulo, também fui bancário (“Banco Nacional – o banco que está a seu lado”) na romântica época em que o atendimento fazia toda a diferença. Não se falava em telemarketing e muito menos em gerundismo. Os clientes REALMENTE eram bem-vindos à agência. Ah, bons tempos… Agora me dá licença que vou ali comprar mais drops de naftalina que os meus acabaram…

  7. EU ODEIO O SANTANDER

    JÁ RECEBI VÁRIAS LIGAÇÕES DE ATENDENTES DO SANTANDER ME OFERECENDO CARTÃO DE CRÉDITO E SEMPRE AFIRMEI NÃO TER INTERESSE. HÁ ALGUNS MESES RECEBI EM MINHA CASA, MESMO SEM TER SOLICITADO, UM CARTÃO DE CRÉDITO. NA MESMA HORA O DESTRUÍ, E ELE NUNCA FOI DESBLOQUEADO. NESTA SEMANA RECEBI EM MINHA CASA UMA FATURA DESTE CARTÃO DE CRÉDITO COM O VALOR DE 27,50, PARCELA 1/4, REFERENTE A ANUIDADE DE UM CARTÃO QUE EU NUNCA SOLICITEI E MUITO MENOS UTILIZEI! AO LIGAR NO 0800 DO BANCO PARA RECLAMAR ME DISSERAM QUE EU TEREI Q RETORNAR NA SEGUNDA-FEIRA EM HORÁRIO COMERCIAL PARA EFETUAR O CANCELAMENTO DESTE CARTÃO E SOLICITAR ESTORNO DO DÉBITO DA FATURA, COMO SE NÃO TRABALHÁSSEMOS E ESTIVÉSSEMOS POR CONTA DELES. NA VERDADE EU NEM PRECISARIA CANCELAR ESTE CARTÃO JÁ QUE ELE NUNCA FOI SOLICITADO E NEM ATIVADO.

  8. Caríssima, apesar desse post já ter sido escrito há mais de um ano, ainda nos dias de hoje continuo com os perrengues com esse banquinho. E – INFELIZMENTE – sou obrigado a utilizá-lo (pelo menos em parte), pois é por onde vem meu salário…

    Tento utilizar o mínimo indispensável possível, e, ainda assim, de quando em quando, me ligam no celular. E então se identificam como sendo do banco-que-não-deve-ser-nomeado e pedem para que EU confirme alguns dados…

    – Ora, mas você é quem me ligou! Identifique-se você!

    – Mas é para sua segurança…

    – Minha segurança é manter distância de seu banco!

    E a “conversa” segue nesse nível. Normalmente sou um cara calmo e comedido, mas acho que já devo ter deixado mais de uma atendente chorando depois de extravasar meus níveis de stress…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *