Interlúdio

E eis que eu e meu companheiro de viagem (ainda que ele teime em dizer que eu é que sou companheiro de viagem dele) saímos para jantar ontem à noite. Não, nada de pastéis dessa vez. Fomos a uma bela duma churrascaria. Tá certo que o mote para isso foi o fato de ele ter encontrado no saguão do hotel alguns cartões que davam direito a um chopp grátis…

Proseamos bastante, avaliamos as palestras do dia, contamos causos, falamos mal da vida alheia, ou seja, o de praxe quando dois caboclos saem para bebericar.

O que surpreendeu, nesse caso, foi logo após nossa saída do restaurante (que ficava bem de frente para o estacionamento de um shopping).

Eu já supunha que devido ao trânsito de Brasília, bem como pelas características específicas de sua população, seria relativamente normal encontrar um alto padrão de veículos por aqui. Mas a constatação disso acabou me deixando boquiaberto.

Máquinas dos mais variados estilos, origens, cores, capacidades e – com certeza – performance. Clássicas, tunadas, adaptadas, originais, etc. Aerofólio, carenagem, chassi fino, chassi reforçado, lataria brilhante, lataria fosca. De tudo, vimos um pouco. Com preços estimados entre U$250,000.00 a uns U$350,000.00. Pra se ter uma idéia ouvimos que em alguns casos só as rodas chegariam a um preço de U$200,000.00 !

Definitivamente.

É um outro mundo e uma outra realidade.

Isso me deu uma saudaaaaaaaaade de casa…