Game world (The Revenge)

Alguém aí se lembra que outro dia, jogando xadrez com meu filho, lhe dei um fulminante xeque-mate?

Boisé.

Somente ontem tivemos a revanche. O território: Playstation II. As armas: o jogo Need for Speed Underground. O placar: dez a zero. Pra ele.

Desde então ele não se cansa de ficar me lembrando esse resultado. Em qualquer oportunidade. Falando, brincando, na maior parte das vezes cantarolando.

Quem será que fui que ensinei sarcasmo pra esse moleque?…

3 thoughts on “Game world (The Revenge)

  1. Pois é. A VIDA, a vida é uma caixinha de surpresas! Mas o xeque-mate teve lá seu fundo cultural/moral/pedagógico… Afinal o xadrez (ainda que metaforicamente) serve também para preparar o pequeno petiz para o futuro!

    Putz, Paulo! Acho que até na bolinha de gude eu perco! Talvez no bafo… quem sabe?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *