Por um fio

E então meu filho está crescendo. Os dentes de leite estão caindo e começando a dar lugar aos permanentes. Mas ontem parecia coisa de filme (e antigo), pois estava meu filhote mais velho correndo de um lado para outro da casa, com a mãe em seu encalço, e com um FIO amarrado no dente da frente que estava bambo, bambo, bambo. “Mas você não quer que saia?” – perguntava a Dona Patroa. “Quero, mas vai doer”. E dá-lhe correria de um lado para outro.

Até que, finalmente, num arroubo de coragem, ele deixou que puxasse o malfadado dentinho. Daí, num desfecho que envolveu necessariamente muito mais manha que dor:

AAAAAAAIIIIIIIIIIIIIIÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊ !!!!!! – foi o berro que perdurou durante uns três minutos, estremecendo e abalando as fundações da casa…

Aliás, isso sim podemos chamar de “exagero línguístico”.

Aliás do aliás, numa mensagem recente pudemos contar com a sempre preciosa contribuição do nosso amigo, juiz de marchinhas, canhoto, campeão de xadrez etílico, violeiro das palavras, e ótimo copoanheiro, Paulo Bicarato. Numa tradicional manobra Ctrl-C – Ctrl-V, tá lá em O BUCÉFALO, sob o auspicioso título de “Manual (bem-humorado) de Redação”.

Aliás do aliás do aliás, sempre é bom lembrar as palavras de Luís Fernando Veríssimo (MESMO), extraídas de um trecho da crônica “O gigolô das palavras”:

“Escrever bem é escrever claro, não necessariamente certo. Por exemplo: dizer ‘escrever claro’ não é certo mas é claro, certo?”

2 thoughts on “Por um fio

  1. Tá lá sim, patron.

    O problema é que trata-se de uma página em HTML, e o nosso lindo, amado, idolatrado, salve, salve, Servidor tem uma espécie de “memória cache” que afeta todos os computadores de nossa rede, mantendo a versão anterior da homepage. Provavelmente até amanhã já estará liberado. Entretanto qualquer outro que acesse o site de fora de nossa rede já tem a atualização a postos…

    [ ]s!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *